quarta-feira, 11 de março de 2015


Hoje no programa Acorda Ribeirão falei sobre o asfalto de nossa cidade em especial sobre a operação tapa buracos, leia a baixo o que foi dito:

Vemos que em ribeirão existem muitos buracos e a prefeitura realiza a operação tapa buracos. Com relação à operação tapa buracos da nossa cidade o serviço é feito corretamente?
Em alguns pequenos pontos da cidade sim, mas na maioria dos casos não, nos casos onde não é feito corretamente somente é jogado o piche ou até cascalho e depois piche e uma máquina ou ainda o caminhão é utilizado para compactar o serviço, desta maneira o buraco acaba voltando até mesmo com o passar dos veículos ou até mesmo com a chuva, poderíamos dizer que o buraco ressuscita ou pior ainda vira um zumbi como na série Walking Dead já que o buraco passa a existir novamente, mas desta vez conta ainda com os cascalhos da tentativa de tapar o buraco ressuscitado.

Qual deveria então ser a maneira correta para a operação tapa buracos?
Ribeirão em alguns pontos até faz da maneira correta, nossa cidade poderia utilizar a iniciativa de Belo Horizonte que criou um manual de como deve ser a operação tapa buracos, neste manual contem desde quantas pessoas irão fazer o serviço, até quais maquinas são usadas, ele mostra ainda como tapar cada tipo de buraco ou até mesmo como arrumar os paralelepípedos que na nossa cidade causam grandes transtornos, mas voltando a pergunta, a maneira correta é delimitar a área a ser recortada, ou seja, uma área maior que o buraco formando uma figura geométrica (uma poligonal qualquer, como, por exemplo, um quadrado, um retângulo, etc.).
Recortar o revestimento a ser removido, com a utilização de equipamentos mecânicos e/ou serra. A utilização de picaretas devem ser evitadas devido à baixa produtividade e a dificuldade de se romper espessuras consideráveis sem trincar ou abalar o pavimento que não necessite ser removido. É fundamental que a face do recorte faça um ângulo de 90º com o revestimento existente.
Remover o revestimento que foi recortado, inclusive os resíduos da área esburacada. Os resíduos e entulhos também devem ficar longe das bocas-de-lobo para evitar obstrução das tubulações e galerias pluviais. Feita a limpeza deve-se utilizar material que irá unir o asfalto antigo ao novo asfalto.
Logo após deve-se preencher o local com asfalto quente. Preenchido o buraco com asfalto o próximo passo é compacta-lo e somente depois utilizar o rolo compressor para obter-se uma camada final, buscando também obter um acabamento liso.

Um outro exemplo da má administração foi o recapeamento da Rua Silveira Martins, onde existiam vazamentos na rua e a prefeitura antes de fazer o conserto dos vazamentos resolveu fazer o recapeamento da rua, aqui em Ribeirão deveria ter um cadastro como no Rio de Janeiro onde existe um COR chamado de Centro de Operações Rio onde eu estive em 2013 para conhecer e lá todo serviço que será prestado pela prefeitura está em um cadastro único, evitando assim que um serviço tenha que ser refeito pela falta de planejamento, ou seja primeiro você conserta o esgoto o vazamento de água, hoje ainda temos em alguns lugares o gás encanado ou ainda os cabos de comunicação e só depois de todos os problemas resolvidos é que é feito o recapeamento de uma rua. Evitando assim um gasto desnecessário por parte da prefeitura.

0 comentários :

Postar um comentário