Os jovens de hoje serão os idosos de amanhã


Hoje nos jornais vemos que uma jovem agrediu uma senhora de 75 anos de idade.

Na verdade a jovem é nora da senhora agredida e a agressão já vem ocorrendo contra essa senhora há  mais de 15 anos e desta vez a senhora teve seu olho esquerdo perfurado por uma chave de fenda e acabou perdendo a visão.

A jovem e seu marido que é filho da senhora agredida são usuários de drogas e estavam embriagados quando a jovem agrediu a senhora, os dois moram com a senhora e com seu esposo que tem 85 anos de idade.

Nós do Acorda Ribeirão sempre dizemos que as drogas possuem apenas dois caminhos, um é a cadeia o outro é o cemitério.

A droga não destrói somente a vida do usuário e destrói principalmente a vida da família do usuário.

Mas voltando a agressão sofrida pela senhora, nós deveríamos ao invés de maltratar os idosos, deveriam cuidar e acolhe-los. Saibam que esta pessoa idosa que está ao seu lado foi quem antes te deu carinho, atenção, quem tem alimentou e te deu um lugar para morar e além disso tudo deve ser a pessoa que mais te ama neste mundo.

Devemos sempre procurar ajudar os idosos e devemos sempre procurar acolhe-los e pode ter certeza que está pessoa que você acredita não servir para mais nada com certeza tem uma história de vida incrível e está pessoa pode ainda te ensinar muita coisa e com certeza essa pessoa idosa tem a sabedoria necessária para poder te aconselhar sempre que você precisar.

Portanto cuide das pessoas mais velhas porque você pode ter certeza que um dia você também será um idoso e também irá querer ser respeitado e ser cuidado por aqueles que você ama.

Mais

O Agronegócio ainda vai levantar esse país


Em época de Agrishow vemos constantemente nos noticiários que o governo liberou milhões para o agronegócio, desta maneira você deve pensar: então está fácil para o produtor investir pegando empréstimo junto ao governo com uma taxa de juros bem menor.

Vou contar uma historinha que ocorreu comigo ano passado na Agrishow.

Eu estava visitando o estande do Governo do Estado de SP e um senhor de nome Antônio estava ao meu lado e eu não pude deixar de prestar atenção no que ele falava, pois, estava falando alto e muito nervoso. Ele dizia que tinha estado em um estande de máquina onde ele tinha interesse em adquirir um maquinário, até ai sem problemas, o problema surgiu quando ele perguntou quando a empresa poderia entregar o maquinário que ele tinha interesse e o Sr. Antônio disse que iria fazer um financiamento pelo governo. A resposta que ele obteve é que demoraria entorno de seis meses para ele receber a máquina porque a burocracia que o governo colocava demorava muito para liberar o dinheiro para o financiamento.

Uma outra história que posso contar aconteceu com a Sra. Antônia Xavier aqui de Ribeirão Preto, ela possui uma chácara onde planta alface, tomate e outros produtos do gênero ela me ligou durante o programa Acorda Ribeirão quase chorando porque no final de semana que tinha passado toda a sua plantação havia sido destruída pela chuva que tinha ocorrido.

Fico imaginando quanto tempo essa senhora e sua família demoraram para conseguir superar o prejuízo.

Como o governo poderia ajudar nesse sentido já que diz ter o dinheiro liberado para o produtor.

O que eu proponho é que no caso do empréstimo pra o Sr. Antônio o governo desburocratize e facilite a entrada de recursos para este tipo de produtor e no caso da Sra. Antônia que o governo crie uma espécie de seguro para o produtor para assim assegurar uma renda para que este tipo de produtor que quase sempre utiliza o pequeno lucro da sua produção para sobreviver e voltar a produzir.

Se hoje o Agronegócio é quem leva o país para frente imagine se eles tivessem realmente os recursos que o governo diz liberar onde conseguiriam chegar e onde conseguiriam colocar o nosso país.

Mais

Bebida e direção nós sabemos que não combinam


Neste final de semana tivemos na cidade de Jardinópolis a chamada blitz da lei seca onde 13 pessoas foram autuadas. Foram feitos 139 teste do etilômetro conhecidos por bafômetro, ou seja, quase 10% das pessoas foram autuadas. Em nossa Ribeirão Preto já tivemos também a mesma blitz e a porcentagem de autuação é quase a mesma.

Enquanto não nos conscientizarmos de que bebida e direção não combinam estes números continuaram a aparecer e os acidentes continuaram acontecendo. O maior problema do álcool na direção é que quase sempre um inocente acaba sendo envolvido no acidente que na maioria das vezes o condutor alcoolizado é o causador e o acidentado por muitas vezes vem a falecer ou mesmo ficar com sequelas irreversíveis.

O condutor alcoolizado sempre acredita que está bem para dirigir, mas, pode ter certeza que ele não está e se fosse o contrário uma pessoa alcoolizada que tivesse cometido o acidente contra ele, ele seria o primeiro a dizer que álcool e direção não combinam.

O maior problema como eu já disse é que um acidente quase sempre tem uma vitima e quase sempre é uma vitima fatal e o motorista alcoolizado na maioria das vezes nem sabe que cometeu um crime e  este acidente com certeza deixará marcas na família dos envolvidos.

Portanto o que temos que ter é consciência e de uma vez por todas termos bem claro que bebida e direção não combinam.

Mais

Planeta Terra nosso lar até quando?


Hoje 22 de abril além de comemorarmos o descobrimento do Brasil comemoramos também o dia mundial da Terra.

A pergunta que eu faço neste dia 22 é: O que nós temos feito para preservar o planeta que chamamos de lar?

Muitos de nós fazem o desmatamos, utilizamos a água sem controle, jogamos lixo onde não devemos, essas são algumas atitudes que fazemos fora as outras que fazemos e nem percebemos, mas, nosso planeta com certeza percebe e ao perceber manda pequenos recados para nós infelizmente, nós quase nunca percebemos estes recados e continuamos com nossas atitudes que continuam fazendo o nosso planeta sofrer.

No final do ano passado enfrentamos uma grave seca ocasionada pela falta de chuvas e por que isso ocorreu? Ocorreu porque nós não estamos cuidando de nosso planeta, nós desmatamos, poluímos e ainda queremos que tenhamos ar limpo, água potável, clima favorável e terra para plantar.

Se hoje temos nosso planeta ainda respirando e com água para beber devemos pensar que no futuro nossos filhos e netos não tenham a mesma sorte de terem um planeta como nós encontramos.

Devemos pensar conscientemente se quisermos que as futuras gerações que vierem a nascer em nossas famílias tenham um planeta para morar.

Resumidamente se não tivermos consciência do uso do planeta à conta pela nossa falta de planejamento e falta de controle no uso dos recursos do nosso planeta será paga por nossos filhos e netos.

Portanto vamos preservar para que tenhamos um futuro e possamos continuar chamando o planeta Terra de lar.

Mais

Av. Antonia Mugnatto Marincek e a sua duplicação cadê?


Falei hoje no programa da rádio sobre o descaso com os projetos que seriam feitos com o dinheiro que viria do governo federal, este dinheiro viria via o programa PAC.

Meses atrás vimos nos meios de comunicação que seriam investidos milhões em obras como viadutos e avenidas em nossa cidade.

Hoje não temos ninguém fazendo nada a este respeito, não vemos uma licitação em andamento e também não sabemos se este dinheiro realmente virá.

O que vimos é que talvez a prefeitura não tenha mais esse dinheiro liberado já que possui pendencias com o governo federal. A prefeitura diz que está tudo certo que o dinheiro virá, mas, como não vemos nada acontecendo ficamos com uma pulga atrás da orelha se esse dinheiro realmente virá.

Os moradores do ribeirão verde esperam ansiosos pela duplicação da Avenida Antonia Mugnatto Marincek, hoje os moradores daquela região têm que conviver diariamente com os congestionamentos e com o perigo da via que hoje possui apenas uma faixa para cada mão de direção.

Os pedestres que precisam passar diariamente pela região também sofrem já que não existe calçamento pela avenida.

Um pouquinho da história daquela avenida.

Na verdade o que foi feito naquela região foi simplesmente asfaltar uma estrada antiga de terra que ligava a rodovia Anhanguera a algumas chácaras que existiam naquela região.

Hoje com o aumento de moradores naquela região a necessidade urgente de duplicar a avenida é inevitável.

Os governantes deveriam se entender e fazer com que a duplicação desta avenida não se torne mais uma novela como ocorre no caso da internacionalização do nosso aeroporto.

Precisamos que essa avenida saia do papel. Se a avenida será duplicada com dinheiro do município, do governo estadual ou do governo federal eu não sei. O que eu sei é que falta vontade dos governantes que poderiam iniciar as obras, se o dinheiro não vem via PAC ou via município, nossos deputados poderiam enviar verbas para a construção da avenida, através das famosas emendas no orçamento assim, a tão sonhada obra sairia do papel. 

Mais

Admitir os erros e pedir desculpas


Uma das coisas que sempre devemos fazer é admitir nossos erros e pedir desculpas pelo erro.

No programa Acorda Ribeirão de terça feira eu errei ao falar sobre racismo quando na verdade o que eu estava querendo dizer era sobre preconceito.

A primeira coisa que fiz ao começar a falar no programa de quarta foi pedir desculpas a todos pelo erro que tinha cometido. Embora a mensagem de terça tenha sido passada eu estava cometendo um erro ao trocar a palavra preconceito por racismo.

Também pedi desculpa pela falta do vídeo que eu tinha sugerido a todos assistirem na terça, consegui publicá-lo somente na quarta.

Mas por que dessas desculpa pelo erro e pela falta, a resposta é simples.

Muitos procuraram pelo vídeo e não encontraram e muitos ficaram pensando que o assunto não estava sendo passado corretamente.

E nos dias de hoje não vemos muitas pessoas admitindo que errou e pedindo desculpas pelo erro e também vemos poucos governantes admitindo seus erros e muito menos pedindo desculpas.

Nossos governantes deveriam admitir seus erros e pedir desculpas todas as vezes que cometem erros. Eles deveriam vir a publico dizer que erro por isso ou por aquilo e pedir desculpa a você que está ai do outro lado que na maioria das vezes é o maior prejudicado. Sei que ouvir o governante admitir o erro e pedir desculpas não irá melhorar muita coisa ou mesmo não vai mudar nada, mas pelo menos você meu amigo perceberá que o governante sabe que errou e que tentará corrigir o erro.

Hoje a maior revolta nos protestos é que vemos que mesmo com os governantes sabendo que não estamos contentes eles simplesmente não aparecem para dar explicações e mesmo quando comentem erros não aparecem para ao menos pedir desculpas e admitir que está errado e dizer que irão mudar e fazer da maneira correta, ou pelo menos que tentarão corrigir o erro.

É como disse o médico-psiquiatra e escritor brasileiro Roberto Shinyashiki “A pessoa que comete erros e não consegue assumi-los e mudar de atitude, faz de sua vida um campo de batalha.”

Portanto o que mais esperamos de nossos governantes e principalmente da nossa presidente é que eles e ela venham a publico e admitam seus erros e peçam desculpas pelos erros que cometeram e acertem porque só assim a nossa vida poderá ter um rumo melhor.

Mais

O fim do preconceito deve começar na escola

Falamos durante o programa Acorda Ribeirão sobre preconceito, todos os dias milhares de pessoas sofrem preconceito. Existem vários tipos de preconceito, alguns sofrem pela cor da pele outros, por serem gordinhos ou por serem muito magros, outros ainda sofrem por religião ou ainda pela opção sexual, ainda tem o preconceito com os portadores de deficiência física ou mental.

Esse tipo de preconceito é uma coisa que já nasce conosco, para exemplificar isso estou colocando um vídeo para que você possam assistir e exemplificar o que estou dizendo. Eu particularmente não costumo assistir muitos vídeos que recebo principalmente os que são longos, mas este vale muito a pena assistir, garanto que no final do vídeo você irá divulgá-lo para que seus amigos o assistam também.

Passei a conhecer este vídeo em um dos cursos da Oficina Literária Puntel.

No vídeo você verá um estudo realizado em uma sala de aula com crianças canadenses, este estudo foi feito com o consentimento da escola, dos pais e da secretaria de educação daquela cidade.

No vídeo a professora irá separar a classe em duas turmas onde metade da sala será formada por alunos altos e a outra metade por alunos baixos. Os alunos baixos serão estimulados a pensar que são mais inteligentes que os demais. Durante todo o dia os alunos baixos receberão elogios e privilégios, fazendo com que no passar do dia começasse a surgir o preconceito com o mais altos da sala e as crianças começarão a se dividir entre altos e baixos e um acabará evitando o outro, alguns até não concordarão no inicio com essa separação e dirão que nada do que a professora diz é verdade, mas, como a professora diz que aquilo está certo elas passarão a aceitar.

No final do dia os mais altos já tristes e por muitas vezes já tinham chorado pelo acontecido foram chamados para ficarem na escola mais alguns minutos e os mais baixos foram dispensados.

Neste momento os mais altos foram informados que tudo aquilo não passava de uma experiencia e uma demonstração de preconceito e que no dia seguinte tudo o que ocorreu com eles durante o dia todo irá ocorrer com os mais baixos da sala.

Passado o dia os alunos chegaram novamente à escola onde a professora informou todos os alunos que havia cometido um erro e que na verdade os mais altos é que seram mais inteligentes e novamente a classe foi dividida.

Com o passar das horas os alunos mais baixos que um dia antes foram estimulados e elogiados passaram a ser hostilizados e os exercícios que um dia antes faziam com facilidade passaram a errar.

Ao final do dia a professora informou todos os alunos que na verdade o que elas tinham passado era uma experiência sobre preconceito e que na verdade todos eram inteligentes.

Para a surpresa da professora no momento que a experiência acabou os alunos ainda não demonstravam os resultados esperados pela experiência e parecia que tudo o que as crianças tinham passado não tinha valido de nada e que talvez só fosse trazer prejuízos na formação daquelas crianças.

Mas uma semana após a experiência os repórteres voltaram à escola e para surpresa de todos, as crianças passaram a entender melhor sobre o preconceito e tudo o que eles faziam com outras crianças principalmente com um garoto da sala passaram a não fazer e principalmente a defendê-lo.

O que estou tentando demonstrar é que se estimularmos as pessoas com certeza teremos resultados melhores, porque se começar a achar que esta ou aquela pessoa não serve para um serviço ou para uma tarefa com certeza com o passar do tempo àquela pessoa realmente irá sentir-se desmotivada e passará a acreditar nisso.

O que proponho é que ensinemos sobre preconceito para as nossas crianças nas escolas porque com certeza teremos em um futuro adultos mais conscientes e capazes de entender as diferenças dos outros que na verdade essas diferenças são os preconceitos que temos.




Mais

O fim da confiança e da esperança na mudança.


Falando sobre os protestos de ontem realizados pelas cidades do Brasil.

Sim, a quantidade de pessoas que compareceram foi menor e quais os motivos dessa diminuição?

O número de pessoas diminui não porque alguns passaram a acreditar ou passaram a confiar no governo, o número de manifestantes diminui principalmente pelo motivo que muitos acreditam que nada irá mudar já que passado um mês da outra manifestação nada aconteceu e nada mudou, pelo contrário tivemos outro aumento no preço da energia.

O que em minha opinião como já disse antes não é que as pessoas estão mais confiantes nos governos, na verdade as pessoas estão perdendo a confiança e a esperança que algo irá mudar.

Mais

Seta você ainda vai Usar


Hoje no programa Acorda Ribeirão que vai ao ar de segunda a sexta a partir das 06h00min horas pela rádio CMN 750 da AM voltamos a falar da falta de educação dos motoristas de Ribeirão Preto.

Ontem falamos dos motoristas que não sabem que para quem dirige mais devagar esse motorista deve manter a faixa da direita e também falamos dos motoristas que simplesmente param seus carros onde é proibido mesmo tendo como parar do outro lado da rua.

No programa de hoje falamos de um equipamento de segurança que por muitos motoristas acreditam que isso seja um assessório ou ainda nem conhecem o mesmo, estou falando da utilização das setas.
Andando pelas ruas de nossa cidade vemos diariamente motoristas que simplesmente esquecem-se de dar a seta ou para fazer uma curva ou mesmo para trocar de faixa esquecem-se de dar a seta o que por muitas vezes acaba provocando acidentes.

Até encontramos motoristas que conhecem esse equipamento que para muitos é um mistério, mas alguns dos que conhecem acham esse equipamento e quando o utilizam para virar ou trocar de faixa simplesmente ao ligar a seta acredita que o carro passa a ser indestrutível e simplesmente viram ou trocam de faixa e por muitas vezes fecham os outros motoristas que por ali já estavam. Eu acho que estes motoristas acreditam estar em um videogame onde simplesmente acionando a seta o carro ficará indestrutível.

Continuando ainda com a falta de educação no transito, acho que alguns motoristas de nossa cidade devem pagar dois IPVAs por ano já que se sentem no direito de dirigir pelo meio das ruas e avenidas ocupando assim as duas faixas impedindo que alguém possa ultrapassá-lo e caso você que está ali atrás tentando fazer a ultrapassagem dê uma buzinadinha ou um sinal de luz o motorista da frente por muitas vezes manda você passar por cima, outras ainda nem nota sua presença ou pior acaba indo ou mais devagar ou mostrando o dedo do meio ao erguer a mão.

O que nós sugerimos é que você que por muitas vezes esquece-se da seta ou dirige pelo meio da rua pense um pouco antes no que está fazendo porque ali atrás de você pode ter uma pessoa passando mal ou ainda em trabalho de parto precisando chegar logo ao hospital e pense também que um dia poderá ser você no carro de trás.

Mais

A falta de educação dos motoristas de Ribeirão Preto


Se já não bastasse os buracos das ruas e avenidas de nossa cidade outro grande problema que temos no transito é a falta de educação dos motoristas de nossa cidade.

Quando digo falta de educação não é somente jogar lixo nas ruas, o que estou tentando dizer é a completa falta de seguir as leis de transito, ou mesmo pensam no outro motorista que quase sempre está atrás de você.

Vamos aos exemplos: 

Nas avenidas temos duas ou três faixas, sabemos que a faixa da esquerda é para ultrapassagens e quem está mais devagar devemos utilizar a faixa da direita, mas o que vemos é sempre o contrário, ou seja, a faixa da esquerda sempre com um motorista mais devagar impedindo que os outros o ultrapassem e com isso o motorista que esta precisando ultrapassar sempre tem que ultrapassa-lo pela direita.

Outro exemplo é por muitas vezes vemos pessoas parando seus carros onde é proibido e por muitas vezes quase sempre do outro lado da rua é onde o motorista poderia parar, mas parece que o mal educado prefere parar onde não pode impedindo assim que o transito flua, isso vemos muitas vezes em ruas do centro de nossa cidade.

Mais um exemplo de como nossos motoristas se portam muito mal é quando o motorista pretende fazer uma conversão à esquerda e essa conversão será permitida somente daqui uns 500 metros ou mais, mas mesmo assim esse motorista mesmo que dirigindo de vagar prefere ficar na faixa da esquerda durante todo o trajeto, para exemplificar melhor os motoristas que vem pela avenida treze de maio e irão fazer a conversão lá na praça da antiga Ceterp ou mais a frente já pegam a faixa da esquerda mesmo a mais de um quilometro de distância e dali não saem, outro exemplo disso é na avenida independência quando o motorista pretende entrar na presidente Vargas este motorista já pega a faixa da esquerda logo após sair do viaduto José Sarney e dali não sai mesmo andando a 20 quilômetros por hora.

Eu ainda poderia dizer sobre a falta da utilização da seta que pouquíssimas vezes os motoristas lembram-se de usar, poderia também dizer das pessoas que jogam lixo nas ruas, ou dos ciclistas que acreditam não precisar seguir as leis de transito, mas isso fica para outro dia.

A nossa proposta é: para que os motoristas passem a seguir as leis de transito e pensem nos outros motoristas, porque se hoje você quem está parado ou andando na faixa errada e segurando o transito amanhã poderá ser outra pessoa fazendo o mesmo com você.

Mais

Como é difícil usar a rotatória Amim Calil


Em nossa cidade vários pontos são críticos em relação ao transito. As dificuldades encontradas pelos motoristas de nossa cidade, hora é pela falta de educação dos próprios motoristas, hora é pela falta de planejamento do transito. Em outra oportunidade falarei da falta de educação dos motoristas e de outros pontos de difícil circulação de veículos e pedestre de nossa cidade.

Hoje em especial falarei da rotatória Amim Calil.

Desde as primeiras horas do dia vemos na região da rotatória um fluxo intenso de carros e em horários de pico de transito é sempre muito difícil entrar na rotatória ou para o pedestre é quase sempre impossível atravessar a mesma sem colocar a sua vida em risco. 

Se você está na Vila Tibério e por volta das 18h00min horas tentar entrar na rotatória se prepare porque você vai demorar a entrar na rotatória.

E ai você deve estar se perguntando por que isso acontece?

A resposta é simples, duas avenidas de grande circulação de veículos terminam na rotatória a Av. Costa e Silva e a Via norte e a rotatória é o principal ponto de bairros de ribeirão com o centro da cidade e se não bastasse isso ainda temos a falta de planejamento do transito de nossa cidade, em quase todas as avenidas de nossa cidade a solução que foi encontrada no passado para facilitar o transito foi a utilização de rotatórias, essa solução se mostrou eficiente há vários anos atrás, hoje com o crescente número de carros nas ruas de nossa cidade, os governantes deveriam investir no transporte coletivo, tirando assim os carros das ruas, mas, enquanto esse investimento não sai do papel como poderíamos resolver este problema?

Como solução para o transito poderíamos ter vias alternativas para que as pessoas que utilizam a rotatória pudessem desviar da mesma. É claro que para que fossem criadas essas vias um estudo seria necessário, mas a principal forma das pessoas utilizarem essas vias alternativas é com faixas antes da rotatória, indicando qual é a melhor forma de evitar a rotatória diminuindo assim o trafego de veículos desta região.

Com certeza se as pessoas soubesse um caminho alternativo iriam utiliza-lo, fazendo com que o trafego de veículos na rotatória diminuísse.


Mais

A insegurança nas ruas de Ribeirão Preto


Hoje no Acorda Ribeirão o programa que apresento junto com meu pai Corauci Neto na rádio CMN falei sobre a insegurança que temos em nossa cidade.

Antigamente sempre víamos passar pela nossa casa, nosso bairro as viaturas da policia militar, alguns até apelidavam os Opalas da PM de "rapapa" que na verdade são as iniciais de Rádio Patrulhamento Padrão. Nessa época víamos diariamente as viaturas passando pelas nossas casas o que nos dava a impressão de estarmos seguros em nossas casas.

Nos dias de hoje vemos ao invés da PM, vemos pessoas passando ou mesmo parando em frente nossas casas ou pior ficando escondidas para nos abordarem ou tentarem entrar em nossas casas. Nas noites de Ribeirão quando chegamos em casa temos que dar voltas e mais votas perto de casa antes de entrar e tudo isso para verificarmos se não temos ninguém nos “esperando”.

Nem mesmo câmeras de vigilância e cercas elétricas inibem a ação dos marginais que por muitas vezes nos aguardam. O que nós pedimos é que o patrulhamento volte para as ruas e que voltemos a ter a sensação de segurança para nossas famílias, porque hoje se chamarmos a PM na maioria das vezes eles demoram muito para nos atender e quase sempre quando chegam a ocorrência já acabou e dificilmente vemos alguma viatura passando por nossas residências.

Com o retorno do patrulhamento com certeza os marginais não terão tanto tempo para poderem nos aguardar escondidos perto de nossas casas, porque com o patrulhamento se eles estiverem nos aguardando eles irão encontrar com certeza a PM ao invés de encontrar nossas famílias.

Com a PM vigilante a criminalidade com certeza irá cair e poderemos voltar até sentar na calçada de nossa casa e conversar com nossos vizinhos e teremos novamente nossas crianças brincando pelas  ruas de nossa cidade.

Mais

O abandono das praças e avenidas


Em nossa cidade as praças e canteiros de avenidas quase que em sua totalidade encontram-se abandonados, as praças servem de abrigo para usuários de drogas e também para que alguns joguem lixo e as avenidas hoje com seus canteiros abandonados fazem com que as pessoas ou mudem seu caminho ou andem pelo asfalto da avenida.

E por que chegamos a este ponto? Simples, chegamos a este ponto pela má administração dos serviços públicos. Tá certo tem chovido muito nos últimos meses o que ajuda a grama crescer e ficar parecendo mato devido ao seu tamanho, mas a falta de organização e de escalonamento para a manutenção das vias e praças contribuíram para que chegassem a este ponto.

Reclamar que a prefeitura tem deixado de lado a manutenção é fácil. Ouvimos em vários programas de rádio e vemos na TV quase todos reclamando e só.

E por que eu disse “quase todos”? 

Eu disse “quase todos” porque aqui no blog e no programa Acorda Ribeirão, nós reclamos sim dos problemas, mas sempre apontamos uma maneira para resolver o problema, diferente de outros que somente reclamam. Reclamar é fácil o difícil é ajudar e mostrar como podemos fazer e como podemos melhorar. Como você pode ver em nosso blog todas as críticas que fizemos sempre apontamos como corrigir os erros e melhorar.

E como podemos melhorar nossos canteiros e praças?

Simples basta incentivarmos os empresários de nossa cidade a limpar as praças e canteiros e darmos em troca deste serviço prestado por eles espaço para propaganda através de placas ou painéis instalados na área em que este empresário investiu na limpeza da área. Isso já foi feito anteriormente em nossa cidade e em alguns locais realmente o projeto foi muito bem sucedido e onde não foi, foi simplesmente pela falta de fiscalização.

Portanto está é uma maneira de nossas praças e canteiros voltarem a “sorrir” e nossa cidade voltar a ficar limpa.


Mais