quarta-feira, 20 de maio de 2015


A noticia que mais vemos em jornais, revistas, sites emeios de comunicação é sobre o tão falado ajuste fiscal.

E ai eu te pergunto quem está realmente fazendo o ajuste fiscal?

Se perguntarmos para os trabalhadores e para as donas de casa iremos ter a mesma resposta e está resposta é: "Quem está fazendo o ajuste fiscal somos nós trabalhadores e donas de casa que temos que nos apertar para pagar as contas e ainda colocar comida na mesa".

Nós não vemos o governo federal fazer a sua parte, só vemos o governo cortar os investimentos da educação, da saúde, da infraestrutura e assim por diante. Para piorar vemos somente a inflação aumentando o preço de tudo e muitos feches de família perderem o seu emprego e para quem tem a sorte de ainda estar empregado, tem que ficar feliz com o aumento no salário que está a baixo da inflação do ano passado, ou seja, nem a reposição salarial está conseguindo, resumidamente o que nós  comprávamos a um ano, hoje não compramos mais.

Com o governo fazendo cortes nos investimentos eu estou na dúvida se aquele dinheiro que viria por meio do PAC para as obras em Ribeirão realmente virá.

Já faz um bom tempo que este investimento foi anunciado e até agora nada das obras saírem do papel.

Não vejo mais ninguém nem tocando no assunto, parece que estão deixando o assunto em banho maria para ver se a população esquece e as obras ficam para um futuro que nunca chega.

Espero que as obras realmente venham para facilitar a vida de nós de Ribeirão Preto e espero que o governo federal comece a dar exemplos de que está fazendo alguma coisa para melhorar a nossa vida porque até agora não vimos nada.

O governo poderia ao invés de cortar investimentos, cortar Ministérios, ali sim teríamos uma economia já que os cargos existentes por lá seriam extintos e o dinheiro gasto nesses ministérios seriam economizados.

E o investimento na saúde, na educação e na infraestrutura continuariam.

OBRAS PREVISTAS
  1. Viaduto na J. Gonçalves com Francisco Junqueira
  2. Passarela entre a rodoviária e o camelódromo
  3. Pontes nas ruas José Bonifácio e Visconde de Inhaúma, sobre o córrego
  4. Túnel entre a Presidente Vargas e a Independência
  5. 279 abrigos padronizados em corredores de ônibus
  6. Dois terminais no centro e 8 mini-terminais em bairros 
  7. 56 km de faixas exclusivas para o transporte público
  8. 30 km de ciclovias integradas ao transporte
  9. Paisagismo ao longo da extensão do corredor

0 comentários :

Postar um comentário